Saiba +



Blog criado para que os alunos do Primeiro ano do Ensino médio do Colégio Estadual Gastão Vidigal possam compartilhar entre eles informações adicionais sobre os conteúdos trabalhados em sala de aula. Além disso, este blog é uma maneira diferente de introduzi-los no mundo virtual.

.:Professoras estágiarias Regina Passos e Taise Lopes:.



segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Doenças do Retículo Endoplasmático Não - Granuloso




ICTERÍCIA
É o amarelamento da pele, da esclera dos olhos, e das mucosas devido ao alto nível de bilirrubina no sangue. Quando as hemáceas morrem, o grupo heme da hemoglobina das hemáceas é transformada em bilirrubina no baço. Essa bilirrubina é processada no fígado, e compõe a bile, sendo assim excretada; porém com o mau funcionamento do processamento da bilirrubina no fígado, esta se acumula no sangue. Em recém-nascidos, a icterícia pode ocorrer devido ao subdesenvolvimento do retículo endoplasmático liso dos hepatócitos, o que impede o bom funcionamento do processamento da bilirrubina. Ela pode ser tratada com a exposição à luz azul de lâmpadas fluorescentes, pois esta transforma a bilirrubina em um fotoisômero hidrossolúvel, que permite a sua eliminação pelos rins.

DIABETES
Os primeiros passos para a formação da insulina, hormônio que auxilia na absorção da glicose e controla a quantidade de açúcar no organismo, ocorre no Retículo Endoplasmático (RE) das células β. Estas se localizam nas Ilhotas de Langerhans, no pâncreas e são responsáveis por apresentar um ou mais cristais de insulina. Calcula-se que as Ilhotas de Langerhans produzam cerca de 10 mg de insulina ou aproximadamente 5 vezes a necessidade diária.
Mutações no Retículo Endoplasmático causam profundo impacto nas células das Ilhotas de Langerhans e principalmente nas células β. O maior componentes destas ilhotas afetando o funcionamento e sobrevivência destas.
Com recentes estudos Pesquisadores do Instituto Skirbal e Escola de Medicina da Universidade de Nova York, descobriram na rara doença chamada Wolcott-Rallison, síndrome da diabete infantil, é uma desordem caracterizada por uma destruição antecipada das células β, causadas por mutações no gene que codifica a informação para a produção de insulina pelo Retículo Endoplasmático.
Assim como nesta doença, a destruição das células β, pode aumentar a concentração de glicose no sangue, causando então a diabete nas suas formas mais normais.


Ilustração 2 Sintomas da Diabete

TOLERÂNCIA AO ÁLCOOL

O etanol, ou mesmo certas drogas, como sedativos, quando ingeridos em excesso ou com freqüência, induzem a proliferação do retículo não-granuloso e de suas enzimas. Isso aumenta a tolerância do organismo à droga, o que significa que doses cada vez mais altas são necessárias para que ela possa fazer efeito. Esse aumento de tolerância a uma substância pode trazer como conseqüência o aumento da tolerância a outras substâncias úteis ao organismo, como é o caso de antibióticos. Esse é uma alerta importante para que possamos entender parte dos problemas decorrentes da excessiva ingestão de bebidas alcoólicas e do uso de medicamentos sem prescrição,e controle.

HIPERTROFIA SUBCELULAR
Aumento do R.E.L. após a administração de barbitúricos, esteróides, hidrocarbonetos (JONES & FAWCETT, 1966), explicando a tolerância progressiva a estas substancias (aumento da capacidade de detoxificação por aumento da desmetilação oxidativa).
• Existe uma tendência (principalmente por parte dos clínicos) a se denominar de "Hipertrofia" qualquer aumento de volume orgânico, seja por aumento do volume celular ou mesmo por aumento do número de células (THOMSON, 1983; BARRETO NETO et alii, 1984).
• A hipertrofia e a hiperplasia podem ocorrer concomitantemente, como por exemplo, no útero durante a gravidez.

STRESS
O retículo endoplasmático (RE) é uma organela responsável pela síntese e enrolamento de proteínas secretoras. Cerca de 95% das proteínas presentes nas células estão na sua conformação normal, ou seja, estão propriamente enroladas. As outras 5% correspondem a proteínas desenroladas (unfolded protein) e mal enroladas (misfolded protein). A acumulação destas proteínas no lúmen do RE causa o chamado stress nesta organela. Isto vai desencadear uma série e de mecanismos e de reações de onde intervêm enzimas especificas. Ao conjunto destes mecanismos e reações dá-se o nome de UPR, ou resposta a proteínas desenroladas (unfolded protein response). O UPR alivia então este stress através da atenuação da tradução, da ativação dos genes alvo do UPR, da degradação das vias RE e da inibição da síntese protéica. Porém, quando as funcionalidades desta organela são seriamente afetadas, este inicia os sinais apoptoticos. O stress no RE tem vindo a ser relacionado com várias doenças, entre as quais a diabetes, as doenças neurodegenerativas, tais como, a isquemia, a doença de Alzeimer, a doença de Parkis, entre outras.

Trabalho realizado pelos alunos, do 1º B, do Colégio Estadual Dr. Gastão Vidigal, a pedido das estagiárias, Thaise e Regina.
• Ariane Porcel, nº 04
• Denis, nº 07
• Heitor Gomes Spada, nº 14
• Letícia, nº 18
• Maria Victória, nº 25
• Mariana Gomes, nº 26
• Raissa Laiane, nº 31
• Stella Cristina, nº 35

Setembro/ 2009.

2 comentários:

  1. Professoras, foi maravilhoso poder me deparar com essas informações sobre doenças originadas das organelas, em um momento tão propício... esse tipo de doença é o tema de um seminario que tenho que apresentar semana que vem e a ajuda de vocês foi de muita valia... obrigada por compartilharem seus conhecimentos...

    ResponderExcluir
  2. Foi bom ver essas informações.
    Queria saber a bibliografia que usou para essas informações, ou site.
    Obrigada

    ResponderExcluir